29 de agosto de 2016

OCC 2016 - DNF

Já de regresso daquela que foi uma semana fantástica! Apesar de não ter concluído a minha prova vivi em Chamonix, mais uma vez, um ambiente impressionante entre os amantes da montanha.

Sobre a minha prova pouco há a dizer. Fiz cerca de metade do percurso, a chamada meia-dose. Fiquei, como tinha planeado, em Trient, aos 23km. A partir dali sabia bem o que me esperava, a subida para Catogne era implacável. A condição física era má e os 36ºC não estavam a ajudar em nada. Sabia que seria barrada em Vallorcine. Com o meu ritmo era impossível chegar antes da barreira horária.

Cheguei a Trient com um misto de sensações. Teria de desistir porque já não me sentia com coragem para continuar. Mas por outro lado, apetecia-me arriscar. Neste momento, aquele meu lado irracional que me empurra montanha acima na conquista do trilho tentava demover-me da decisão. Mas a verdade é que sabia MESMO que não iria conseguir. Foi aqui que a Anabela e a Macarena se conheceram na verdade. Quando uma queria continuar com o seu espírito apaixonado pela montanha, a outra apelava ao bom senso e fazia-me lembrar os meses anteriores em que pouco treinei.


Como já disse diversas vezes: não foi na passada 5ª feira que desisti… Eu já tinha desistido da OCC há muito… E vocês, que me leem, sabem bem disso.

Meia dose de prova exige meia fotografia

18 de agosto de 2016

Descubra as diferenças


Estou quase de partida. 

Apenas umas palavras. Poucas.

Desta vez, não há stress. O mais provável é que seja uma DNF da OCC. Mas sem dramas e sem histórias.

Aliás, com uma história: simples e perceptível. Dizem por aí: "treino duro, prova fácil". No meu caso será, "pouco treino, prova difícil". Não tenham dúvidas porque eu não tenho.

De resto, estou feliz por voltar a Chamonix e ansiosa por percorrer aqueles trilhos até onde o corpo me deixar.

Talvez com a mente poderosa da Macarena ainda tenha a pequena e secreta esperança de lá chegar :)

Créditos: @JorgeBranco


Até já

1 de agosto de 2016

Ponto da situação

Viva!! 

Digam-me que neste período de férias também andam em modo treino-poucochinho-porque-está-calor?? E quando não é o calor é porque na véspera tive um jantar e deitei-me tarde, e provei aquele vinho e depois bebi aquele gin para rematar a coisa e... Bom, já sabem. Já me conhecem.

De modos que quando olho para este gráfico dá-me aquele arrepio na espinha, à semelhança do mesmo arrepio quando pego no copo de gin e aquilo está a estalar, e fico a pensar que o mais honesto e sério da minha parte é nem sequer alinhar na linha de partida no próximo dia 25 de Agosto.


Não é preciso fazer dramas. No meu caso se não treino não vou conseguir. Há pessoas que não precisam de muito para chegar lá, mas eu preciso. Eu preciso treinar.

Próximo dia 25 de Agosto, se decidir apresentar-me na partida, o mais certo é ficar pelo lago de Champex. Foi dos locais mais bonitos da prova. Tenho uma foto muito bonita com o Paulo Soares:


Faço um treino de 10km e fico por ali numa qualquer esplanada sentada a apreciar a montanha.

Alguém se quer encontrar lá comigo por volta das 11h da manhã? Eu pago a primeira rodada!

18 de julho de 2016

OCC'16

Quase um mês sem escrever. Quase o mesmo tempo sem treinar.

Estou a (quase, quase) um mês de partir para Chamonix, mas a minha preparação está a anos-luz do que deveria estar.

Já desisti de ir fazer o OCC e já voltei com a decisão atrás. Andei este período num impasse entre o vou-não-vou. Um impasse que ainda não está completamente resolvido. Talvez se resolva no dia da prova, na linha de partida.

Há momentos na vida em que carregamos no botão ‘pause’ e saímos do nosso filme. Saímos cá para fora, deixamos de ser protagonistas e passamos a ser espetadores. E quando assim é somos muito críticos e vemos defeitos em muita coisa.

A corrida terá sempre o seu lugar na minha vida. Só não pode é ter um lugar demasiadamente destacado ao ponto de me prejudicar ou fazer-me infeliz. E já existiram momentos em que a corrida deixou-me infeliz.

Aproveitarei o OCC com as suas 14 horas para pensar nisso…

Espero que estas 14 horas cheguem para pensar e que eu chegue antes destas 14 horas.

(A escrita é curta. Tal como têm sido os meus treinos.)

16 de junho de 2016

X Ultra Maratona Caminhos do Tejo


Dois finishers: ele a correr e eu a dar apoio. Percebo agora quando me diz que o parto lhe custou mais a ele do que a mim. Esta prova também me saiu do pêlo.

Não foi fácil, andei 17h36m atrás dele. Estive sempre à espera. Horas a fio. À espera. Ora bebia chá, ora encostava a cabeça ao vidro do carro, ora caminhava para espantar o sono, ou não fazia nada. Simplesmente esperava.

Ele chegava e eu tinha tudo preparado: isotónico, depósito do camelback com água, barras de cereais, etc… Fazia massagens, esfregava-o com protetor solar, trocava-lhe a roupa, molhava-lhe o pescoço e o rosto e dava-lhe um beijo. Repeti isto dez vezes. Começámos às 20h de sexta-feira e terminámos pela hora de almoço de sábado.

Nunca tive grandes dúvidas da dificuldade de uma ultra maratona. Mas desta vez a perceção da dificuldade foi muito diferente. Tive aliás, novas perspetivas do que é uma ultra maratona.

A história desta prova acabou por ter um final diferente. Diferente e difícil.

Pela primeira vez o Paul Michel fez um 3º lugar da geral. É um facto. E como excesso de modéstia também é arrogância admito que fiquei muito contente por ele. Mas acreditem, e sei que alguns acreditam mesmo nisto, o que mais me gratifica é o percurso. O percurso desta prova assemelha-se muito ao seu percurso de vida.

O começar a prova, corrê-la, sofrê-la, vivê-la, morrê-la e terminá-la… Vale qualquer pódio. E isso ele tem-no feito sempre (mesmo quando desistiu nos Pirinéus), de forma honesta, trabalhadora e empenhada.

Paul Michel termina a X Ultra Maratona Caminhos do Tejo, com 144km, e pela primeira vez alcança um 3º lugar da geral. Mas com recurso a doping, admito já. Em cada posto de abastecimento estava o seu doping: o abraço, o afago, o beijo e as palavras de ânimo da mulher, dos filhos e até da sogra. E isto, meus amigos, é um doping infalível e seguríssimo, daqueles que ninguém desconfia e não acusa quando se faz xixi no copinho.

Fica a dica para todo o mundo da corrida...

Além deste 3º lugar, classificou-se ainda, e como sempre, em 1º lugar na admiração que eu e mais algumas pessoas sentem por ele. 

Depois do que vi, vivi e senti a minha admiração por ele cresceu muito mais depois desta prova. Muito mais…

Uma palavra de apreço aos elementos dos postos de abastecimentos que foram incansáveis na simpatia e dedicação. Em especial, aos postos de abastecimento de Azambuja, Valada, Santarém (e aqui uma menção especial ao massagista), Santos e Olhos de Água. 

Deixo-vos com alguns registos desta epopeia.


A caravana de apoio

A partida








Não temos fotos da chegada à meta. É uma pena... Estranhamente não encontro registos desse momento. Fica para uma próxima.







"Olhe, desculpe, o caminho para o Valle D'Aosta, para o Tor des Geants?"

"Meu amigo, na dúvida é p'ra cima!"




7 de junho de 2016

Foi o próprio Paul Michel quem citou...


"O que é bonito neste mundo, e anima,
É ver que na vindima
De cada sonho
Fica a cepa a sonhar outra aventura...
E que a doçura
Que se não prova
Se transfigura
Numa doçura
Muito mais pura
E muito mais nova..."

Confiança, Torga Miguel


(10 junho 2016 - Lisboa/Fátima - 144Km)


(Próxima 6ª feira estaremos a sair de Lisboa: ele a correr, eu de carro, direitos a Fátima. Será esta mais uma etapa na preparação do grande desafio do ano Tor des Geants: para ele a correr, para mim a aturar o seu mau feitio).

31 de maio de 2016

IV Trail da Pampilhosa da Serra


Já não preciso dizer mais nada, pois não?

Tem trail, tem paisagens lindíssimas, tem a natureza no seu esplendor, tem banho no rio Unhais, tem (paletes de grades de) mines frescas, tem porco assado, tem arroz de feijão, tem grupos de danças e cantares, tem os bolos que a malta do norte costuma trazer (aqueles que nos roubam sempre o caneco!!)...

...Tem gentes da terra, pá!! Basta isso!!



Mais um ano, mais uma edição em que vou desafiar os meus amigos a correr pela SPEM!

Está tudo aqui para tratar das inscrições.